Inventar um conto e ilustrá-lo dá direito a prémios

AddThis Social Bookmark Button

A imaginação pode começar a funcionar a todo o gás. A próxima edição do Prémio Conto Infantil Ilustrado Correntes d'Escritas/Porto Editora, organizada pela Câmara da Póvoa de Varzim, aceita histórias inéditas em língua portuguesa criadas em grupo por alunos do 4.º ano do 1.º ciclo.

O conto deve ter no mínimo uma página, três no máximo, ilustrações num documento à parte - e não se aceitam desenhos em formato informático -, com dimensões máximas de 24 cm x 24 cm, e deverá resultar de um trabalho conjunto de todos os alunos da turma. Ninguém fica de fora.

O Prémio Conto Infantil Ilustrado Correntes d'Escritas/Porto Editora, organizado pela Câmara da Póvoa de Varzim, volta a bater à porta das escolas para distinguir um conto ilustrado inédito, escrito em língua portuguesa, criado por alunos do 4.º ano do 1.º ciclo do ensino básico. Os contos deverão ser enviados para a morada da Câmara da Póvoa de Varzim até 10 de janeiro de 2013.

Estimular a criação literária, sobretudo o desenvolvimento da comunicação escrita e criativa das crianças do último ano do 1.º ciclo, é um dos principais objetivos do concurso coletivo. Não são aceites trabalhos individuais e cada escola pode concorrer com o máximo de dois contos por turma. Os vencedores são conhecidos em fevereiro do próximo ano durante a XIV Edição do Correntes d'Escritas - Encontro de Escritores de Expressão Ibérica.

A edição de um livro com os contos dos três primeiros classificados e das menções honrosas, caso as haja, está assegurada pela Porto Editora. Esse livro será distribuído por todos os estabelecimentos de ensino que participem na iniciativa.

A escola vencedora, ou seja, de onde seja proveniente o conto que fique em primeiro lugar, recebe mil euros em edições e produtos Porto Editora. Os alunos e a professora do trabalho distinguido com o primeiro prémio recebem um conjunto de edições da mesma editora. A segunda classificada recebe 500 euros também em edições e produtos Porto Editora e a terceira 250 euros.

Para Luís Diamantino, vereador da Cultura da Câmara da Póvoa de Varzim, é importante continuar a semear para colher mais tarde e os professores, a que muito agradece o empenho, têm tido um papel fundamental nesta "sementeira". "Este concurso começou com uma parceria com a Porto Editora, no sentido de promover a leitura e a escrita junto das escolas. Trata-se de mais um incentivo às escolas, mais um motivo para levar alunos e professores a trabalharem em conjunto", refere. "É um desafio à criatividade, um apelo à imaginação. Mas é também um momento singular de trabalho em equipa. Todos contribuem, toda a turma, coordenada pelo seu professor, colabora num trabalho plural e, quando vencem, a vitória é de todos", acrescenta.

As escolas têm participado e os alunos demonstram que são capazes de criar um conto. "A par da ida dos escritores às escolas, este prémio é um dos principais meios de comunicação com o meio educativo de todo o país e, mesmo, com escolas portuguesas no estrangeiro", sublinha Luís Diamantino. Alunos e professores envolvem-se nesta missão e o momento do lançamento do livro é sempre de felicidade e para nunca mais esquecer.

"A Porto Editora criou uma coleção que todos os anos vai crescendo e fazendo crescer as nossas crianças, um pequeno tesouro feito por mãos pequeninas e por uma imaginação gigantesca como é a das crianças", refere o responsável.

Fonte: Educare

Comentar

Código de segurança
Atualizar